VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Monsieur Le Prince Intense de Princesse Marina De Bourbon


Monsieur Le Prince Intense Princesse Marina De Bourbon Masculino

Uma das melhores propostas de perfume dos últimos  anos, Monsieur Le Prince Intense  é o perfume que você precisa ter na sua coleção. Uma silagem realmente impecável como tudo o que se refere a ele, desde o preço até a qualidade. Você é fã de Creed Aventus porém não esta com dinheiro para comprar algo tão caro. Uma proposta melhor que a de Insurrection II Pure com uma abertura amadeirada frutada ( abacaxi ) e um predomínio cítrico de bergamota, suculento, aveludado , com um almíscar exímio. Um coração que tem um floral delicioso, masculino, com couro na medida que segue com uma longevidade intrigante, quase incomum para um perfume com um preço tão bom. A projeção é outro fator que pode agradar muito, a saída cítrica e bem aromática é quase enólica, mas a evolui rapidamente , o que vem depois é puro conforto e elegância. O jasmim fica bem destacado após um tempo em que o amadeirado almiscarado vai transmitindo uma sensação de poder e sedução. Âmbar quase não se nota porém a Sálvia nunca perde seu espaço, nem quando , após o banho, os resquícios do perfume continuam a deixar aquela sensação de que você encontrou o perfume certo. Realmente é imperdível! 

John Varvatos Dark Rebel Rider Eau De Toilette


Varvatos_Dark_Rebel_Rider.jpg


American fashion designer John Varvatos released a new men's fragrance called Dark Rebel Rider which is borrowing from the mythology of the bad boy and the style you'll possibly id as « biker cool », so says Varvatos...
What is interesting is that rather than to go for gasoline, rubber and American leather - whatever that might smell like - the brand fell back on a classic leather accord, the Russian leather accord beloved by Chanel and others.
The edt has main notes of Russian Leather, bitter orange, citron, and black violets. It sounds like biker suave style to us.
The fragrance opens on bitter orange, citron, aldehydes, saffron, marjoram and hyssop leading to a heart of iris, osmanthus, black violets, rock rose, olibanum, resins and tolu balsam while the base rests on Russian leather, cacao, vanila, atlas cedarwood, patchouli and woodsy notes. The blend is authored by perfumer Rodrigo Flores-Roux.
« Inspired by the world of motorcycles and the iconic black leather jacket, this daring fragrance captures the essence of bad-boy attitude and biker cool. The fragrance delivers a punch with a fearless blend of ultra-sexy leather, ambery notes, and dark woods that makes a statement of bold contrasts and restless energy. »

« The fragrance is housed in the iconic flask bottle featuring a sleek, black grain wrap accented with gunmetal zippers on each side. The signature Dark Rebel fleur de lis cap provides the finishing touch. »

Read more at http://www.mimifroufrou.com/scentedsalamander/2016/08/john_varvatos_dark_rebel_rider.html#qJQP3XEWQshO5P87.99

Tom Ford Orchid Soleil (2016)


orchid_soleil.jpeg

The composition aims to amp up the tropical floral genre by making it smell fearless and latex-y, hinting at sensorial extremes with its nature-inspired tropical note of rubber, which goes unmentioned by the brand. This rubber note conveys both authenticity and urbanity. It is used here to play on dissonance, but the mind at the same time quickly approves of its relevance to the eco-system it makes us believe it originates from.
Orchid Soleil also introduces a subtle gourmand theme which is never as thick and heavy as a pudding or cake but nevertheless at the level of perception of lightly fragrant sticky rice or fragrant riz au lait. It smells a bit of Pandan leaves scent too, which is actually the analytically correct aroma of so-called « jasmine rice » thanks to the predominance of molecule 2-acetyl-1-pyrroline. Its odor profile has been compared to pop-corn, which might explain why some American customers discern a « tortilla » scent in this perfume - and are turned off by it. We think it's more likely due to an attempt at translating fragrant Thai jasmine rice as a perfumery accord - also not discussed by the label.
After these tropical fireworks, the perfume slows down taking on subtle, interesting woodsy nuances which can easily be interpreted as feeling muggy and jungley while a drizzle of citrus peps up the scent.

Orchid_soleil_ad.jpg
What it feels like too however is that the change of regimen from the explosive overture to its subsequent stage is overly contrasted, to the detriment of the perception of the ensuing development, which is quite linear - except for a an upcoming olfactory surprise. Those woodsy nuances tagged as tropical which evoke smoky bamboo shoots filled with fragrant jasminey sticky rice and coconut are great but lack a sense of transition. The structure of the scent feels too dual but more importantly wonky.
Once you get over this absence of a graceful olfactory bridge to a different mood however, the now sotto-voce operating perfume reveals a certain depth but remains linear in its focus on this slightly gourmand accord blending braised bamboo shoots, coconut jasmine rice and rubbery orchids. The press materials refer to « chestnut cream » but until we read about this detail, we did not think about it. Afterwards, yes, it's a possibility.
And here comes the surprise. The fragrance's secreat weapon is a little advertised tangy and metallic (big) sillage, appearing right when you thought the composition had become too thin, which seems to pair aldehydes with big white florals in an unexpected meeting of two unrelated genres. Tom Ford Beauty explain that they used « a high concentration of salicylate compounds [which] offer a spicy, metallic glint. »
While salicylates would be expected in an orchid fragrance, and a solar one at that, it is apparently the dosage which can add this unexpected piercing facet to a big tropical blooming perfume. To the nose, it smells like aldehydes and certainly behaves like them, except for the fact that they do not appear in the top, adding a slight retro, 1950s Hollywood vibe to the composition. You can imagine ladies in corolla skirts, white gloves and patent leather bags wearing this type of both lush and prim perfume. This style would be in sync with Tom Ford's sensibilities and inspiration board, both as a perfume-developer and director.
In Orchid Soleil, two extremes meet: the coolness of aldehydes and highly-concentrated salicylates, and the tropical lushness of femme-fatale flowers like tuberose, gardenia, orchid, red lily, and the fruit of an orchid, vanilla. It's a statement fragrance. It's glamorous. It hints at the past. It's very Tom Ford. It also makes the point that you can name notes but that in the end, abstraction wins. Your imagination is flying on a spectrum of sensations which plays on the themes of the Tropics, gourmand, white florals and aldehydes, and/or salicylates.
Notes : Bigarade, pink peppercorn, cypress, tuberose petals, Tom Ford's black orchid, red lily, cashmere, amber, patchouli, vanilla, chestnut cream.
    


Read more at http://www.mimifroufrou.com/scentedsalamander/2016/08/tom_ford_orchid_soleil_review.html#oIkeG13OhRd8xqEo.99

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

7 ótimas fragrâncias com resenhas atualizadas



Christine Nagel

O novo nariz da Hermès e companheira do  mito Jean-Claude Ellena é a dona de alguns dos melhores perfumes desse semestre. 




AS CRIAÇÕES:

1) Eau de Rhubarbe Ecarlate de Hermes (2016)
Eau de Rhubarbe Ecarlate Hermes Compartilhável


Eau de Rhubarbe Ecarlate Hermes Compartilhável

ótima longevidade em uma projeção moderada

A nota de topo é Ruibarbo a nota de coração é Bagas vermelhas a nota de fundo é Almíscar branco. 
Christine foi além das estruturas Hermès para criar algo que poderia ter sido uma criação de Ellena. Eau de Rhubarbe Ecarlate é simples, natural e elegante, como uma versão requintada que poderia pertencer a coleção "un jardin". As notas amargas de ruibarbo aparecem límpidas e herbáceas contrastando com o frutado que muito lembra a proposta de Hip de Jean Patou, as diferenciações começam na estrutura frutada que aparece mais herbácea, cremosa e sem o toque floral que é característica das fragrâncias com essa nota. Esse toque cremoso é uma característica do almíscar branco, o mesmo quebra um pouco a estrutura adstringente que deixa de ser, em seu âmago, masculino, para alcançar um nível totalmente compartilhável. A perfumista dá um passo a frente de grande nomes como Jean-Michel Duriez e Daphne Bugey e marca um ponto para a casa Hermès que outra vez sai na frente mostrando que a inovação não necessita de muito além de boas matérias primas e um olfato jovial inovador.

2) Galop d`Hermes de Hermes (2016)

Fragrâncias couro para mulheres tem que ser muitoooo bem dosadas para não confundir o olfato e apresentar , ao invés de conforto, um desconforto. As inovações de Christine Nagel são muito bem avaliadas pela equipe de qualidade pela equipe  Givaudan/Hermès. Galop entrou na lista de criações desse ano com ressalvas por apresentar uma estrutura oriental feminina que abusa do couro e rosas. O ponto crucial de Galop é o equilíbrio entre o  feminino sensível e o masculino andrógeno. A estrutura é típica das fragrâncias Oud, e entra por si só, em seara complexa. As rosas  não são o primeiro plano dessa composição como acontece no amadeirado oriental de Rose Oud de Laurence Dumont, o couro é a prioridade. O açafrão é mais puxado que o normal e a disposição semi-linear da fragrância chega a ser dúbia em termos de sofisticação, nem todos conseguem entender a inversão que transformou algo na vipe de  Terryfic Oud Extrême de Terry de Gunzburg de compartilhável em feminino. A linha é tênue e a madeira parece que vai aparecer a qualquer momento porém, ele deslancha para um adocicado leve que confunde o olfato e deixa uma pegada da nota inicial que impressiona no Chance Eau Tendre de Chanel. Em resumo , não é uma fragrância fácil de gostar. Para a mulher que quer essa pegada... algo que poderá despontar na perfumaria já que a perfumista é um resumo do moderno, ainda indicamos Rose Oud de Laurence Dumont . Algo muito mais fácil de gostar, com couro na medida, mais rosas e menos açafrão . Uma medida de Oud que não incomoda e um toque andrógeno dinâmico e sensual. 
Galop d`Hermes Hermes Feminino
Apresentação impecável em um perfume diferenciado 




3) Oriental Brulant de Guerlain (2016)

As notas de topo são Tangerina e Notas herbais a nota de coração é Amêndoa as notas de fundo são Fava Tonka, Styrax e Baunilha

Oriental Brulant Guerlain Compartilhável
O IRMÃO GÊMEO DE Elixir Charnel Oriental Brulant de Guerlain veio mais carregado em baunilha

A perfumista reconhecida pela inovação aceita o desafio de re-interpretar sua obra feita em parceria com a grande co-criadora Sylvaine Delacourte. Quem não lembra de Sylvaine, com certeza vai lembrar de suas obras para casa Guerlain como  Guerlain Homme ( em parceria com Thierry Wasser) , Insolence de Guerlain ( com Maurice Roucel ) e três versões Aqua Allegoria  ( em parceria com Jean-Paul Guerlain). Respeitando a proposta da nova e luxuosa coleção Colour Collection Flacon Quadrilobe que vem reeditando as grandes fragrâncias de luxo da casa e homenageando as pedras preciosas (como o renovador Santal Royal (2014) de Thierry Wasser). 
Quanto a fragrância, Nagel não modificou em nada os espectros de Elixir Charnel Oriental Brulant (2008). O destaque aqui é pra projeção que foi renovada com a valorização de uma baunilha amendoada que já era encontrada na primeira versão. O frasco é a versão rouge (rubi) da coleção, e por isso as características intensas e sensuais do oriental foram valorizadas. Talvez se colocado um ao lado do outro, os grandes apreciadores entendam que Oriental Brulant de Guerlain é praticamente a copia fiel de luxo de  Elixir Charnel Oriental Brulant . O destaque aqui seria a valorização do sedutor quente, com uma nova roupa e intensidade digna de um elixir. Uma coleção que vai enlouquecer os fãs da casa e vai seduzir quem curte os grandes clássicos da coleção Les Exclusifs de Guerlain. A coleção luxo entra em venda programada e  estão disponíveis em frascos de 125 ml pelo preço de 650 Euros  à venda apenas    na boutique Guerlain na Place Vendome., então é bom já ir preparando o bolso pra uma facada no rim, já que será o exclusivo do exclusivo.


Twilly d’Hermès de Hermès por Christine Nagel (2017)



Twilly d’Hermès Hermès for women
O novo pecurrucho da Hermès assinado por Christine Nagel é um pequeno notável. 
De início me perguntei se havia testado a mesma fragrância que os colegas resenhistas descrevem pelos blogs a fora. Para tentar encontrar as facetas que eles descreveram me aventurei em testar pelo menos três vezes antes de resenha-lo.

As características marcantes , no meu entender, estão mais na tuberosa e no sândalo do que no gengibre. O gengibre é bem notado logo de início mas a composição tem uma aura mística , algo como se estivéssemos envoltos em uma luz branca arrebatados com nuances que lembram flores delicadas contrastando com uma tuberosa na medida certa e madeiras aromáticas.

Entendi a pirâmide da seguinte forma:

Gengibre picante e Tuberosa
Tuberosa  e leve floral branco  (realmente parece ter outra flor aqui)
Sândalo e floral feminino amadeirado 
Sândalo 

Não é necessário dizer mais que isso. 
Não é sufocante.. 
Não é enjoativo.
Não é mágico 

Mas é uma fragrância deliciosa para os dias de primavera. Sinto uma energia positiva enquanto a composição se desenvolve.
Projeção mediana
A longevidade foi até boa na minha pele, principalmente para quem usou uma quantidade bem pequena.

Gostei!



ALBERTO MORILLAS 
Alberto Morillas (Sevilla1950) é um perfumista espanhol. Criador de mais de 250 fragâncias iniciou seu trabalho aos 18 anos ao ser contratada pela Firmenich, uma das maiores empresas do mundo na criação de perfumes.É criador de CK One de Calvin Klein, além do aclamado pela critica, "Versace pour Homme" da casa Versace e teve parcerias com as empresas Yves Saint Laurent, Thierry Mugler, Kenzo, Carolina Herrera, Ralph Lauren, The Estee Lauder Companies, Giorgio Armani, Givenchy, Bulgari, Van Cleef & Arpels e Lanvin

 Uomo Salvatore Ferragamo

Uomo Salvatore Ferragamo Salvatore Ferragamo for men
As criações de Morillas andam cada vez mais populares. O perfumista assina com outros nomes da industria mas segue a tendência do "Vamos agradar a todos".  
É obvio que o queridinho da moda em perfumes masculinos é Thierry Mugler.  Seu lançamento "Pure tonka", pelo jeito vazou no mundo perfumistico ou Morillas e  Jacques Huclier. tiveram a mesma ideia. Na questão da qualidade e projeção.Tonka é até insuportável, para quem gosta mesmo de fava. Já Uomo é bem comportado, não se comporta mal no calor, e projeta na medida certa.Ele só tem uma coisa que não gostei. , além do adocicado quase feminino, que é algo que lembra , levemente  Valentino Uomo.No resto ele se comporta muito bem. A qualidade é impar , o aroma de tonka pungente e um amadeirado ambarado com um quase aroma de couro. O coração da fragrância é seu ponto forte pois ele valoriza um pouco o lado masculino, apesar de que, o floral é tão discreto que qualquer mulher pode gosta.Parece que ele vai chegar aqui bem mais barato que o T.M. e, na minha humilde opinião. é bem melhor.

Rose Goldea de Bvlgari (2016)

Rose Goldea Bvlgari Feminino
A repetição continua sendo um característica da perfumaria mundia. Parece que os perfumistas ficaram tão comerciais que estão repetindo criações apenas com notas e nomes diferentes. No geral tudo é muito parecido.
Rose Goldea Bvlgari for women
Não! não é mais uma versão de La vie este est Belle, mas bem que poderia ser!  A fragrância é uma figurinha repetida que vai dar certo pois realmente é comercial e gostoso.

A "deusa do ouro"  vem contornada por uma das melhores rosas dos últimos tempos. Claro que o adocicado frutado remete a uma versão branda do Lancome mas as semelhanças se restringem a isso. Rosas frescas e maravilhosa contrastando com um aroma suave, com toques de madeira e fragrância balsâmica. Esse floral balsâmico amadeirado com uma fase que passa pelo jasmim de forma discreta, segue por toda a composição  onde , inusitadamente ganha  uma fragrância  suave, balsâmica, e com toques ocasionais de limão ou cânfora, que transforma as notas de fundo em uma deliciosa mistura de floral amadeirado, refrescante e almiscarado. Mas sabe aquela sensação de que você já conhece esse perfume? Não ligue se isso acontecer com você pois ele tem essa característica.  No geral a fragrância é deliciosa e encantadora porém continua com aquele defeitinho: a projeção! Quanto a longevidade ele esta bem melhor. Uma ótima fragrância.Romântica, feminina e até sensual dentro dos seus limites. Tem tudo para emplacar.


Daniela (Roche) Andrier


Prada L'Homme Prada Masculino   

Prada L'Homme Prada Masculino                      
 Básica! É a palavra que melhor define a fragrância. Em hipótese nenhuma é ruim , ao contrario, retira elementos de grandes sucessos: A Iris e âmbar (discreto) remete ao Dior homme  sem o adocicado do cacau que as vezes o deixa não tão atrativo.


 O desenvolvimento é praticamente idêntico ao do Sauvage da Dior com algumas ressalvas:  menos  pimenta,  menos cítrico. Gerânio e patchouli idênticos, um fundo amadeirado terroso. Tem um sutil assabonetado que deixa sensação de conforto.Nessa parte ele fica comum e agradável, algo que todo homem gostaria de usar, prático, gostoso e simples e usual. Existe aqui uma pegada aquática floral que simplifica a composiçaõ. Algo que remete a perfumes mais comuns e até meio sintéticos. Apesar de tudo isso ele tem aquele DNA característico dos Pradas levando para o lado Infusion d'Iris e Prada Luna Rossa . As notas de fundo seguram a composição por 4 ou 5 horas, e uma projeção mais intimista porém boa e mantém aquele vibe sintética e estilosa contrastando com esse floral quase marinho. Um perfume de bom gosto, não é extraordinário mas é algo que a Prada estava devendo aos seus fãs. Um perfume  coringa que  vai levantar inúmeras comparações, principalmente  por que , em alguma parte de tudo, o sintético é quase o mesmo de Only the Brave (esperamos discussões acaloradas) . Esta longe de ser um L’Homme Ideal  porém , com certeza, vai emplacar.



Prada L'Homme de Prada (2016)


Prada L'Homme Prada Masculino
                      
 Básica! É a palavra que melhor define a fragrância. Em hipótese nenhuma é ruim , ao contrario, retira elementos de grandes sucessos: A Iris e âmbar (discreto) remete ao Dior homme  sem o adocicado do cacau que as vezes o deixa não tão atrativo.

 O desenvolvimento é praticamente idêntico ao do Sauvage da Dior com algumas ressalvas:  menos  pimenta,  menos cítrico. Gerânio e patchouli idênticos, um fundo amadeirado terroso. Tem um sutil assabonetado que deixa sensação de conforto.Nessa parte ele fica comum e agradável, algo que todo homem gostaria de usar, prático, gostoso e simples e usual. Existe aqui uma pegada aquática floral que simplifica a composição. Algo que remete a perfumes mais comuns e até meio sintéticos. Apesar de tudo isso ele tem aquele DNA característico dos Pradas levando para o lado Infusion d'Iris e Prada Luna Rossa . As notas de fundo seguram a composição por 4 ou 5 horas, e uma projeção mais intimista porém boa sempre mantendo aquela vibe sintética e estilosa contrastando com esse floral quase marinho. Um perfume de bom gosto, não é extraordinário mas é algo que a Prada estava devendo aos seus fãs. Um perfume  coringa que  vai levantar inúmeras comparações, principalmente  por que , em alguma parte de tudo, o sintético é quase o mesmo de Only the Brave (esperamos discussões acaloradas) . Esta longe de ser um L’Homme Ideal  porém , com certeza, vai emplacar.

Rose Goldea de Bvlgari (2016)

A repetição continua sendo um característica da perfumaria mundial. Parece que os perfumistas ficaram tão comerciais que estão apresentando  criações idênticas com apenas com notas e nomes diferentes. No geral tudo é muito parecido.
Rose Goldea Bvlgari for women
Não!Essa não é mais uma versão de La vie este est Belle, mas bem que poderia ser!  A fragrância é uma figurinha repetida que vai dar certo pois realmente é comercial e gostoso.
A "deusa do ouro"  vem contornada por uma das melhores rosas dos últimos tempos. Claro que o adocicado frutado remete a uma versão branda do Lancome mas as semelhanças se restringem a isso. Rosas frescas e maravilhosa contrastando com um aroma suave, com toques de madeira e fragrância balsâmica. Esse floral balsâmico amadeirado com uma fase que passa pelo jasmim de forma discreta, segue por toda a composição  onde , inusitadamente ganha  um acorde  suave, fresco, e com toques ocasionais de cítrico canforado, e transforma as notas de fundo em uma deliciosa mistura de floral amadeirado, refrescante e almiscarado. Mas sabe aquela sensação de que você já conhece esse perfume? Não ligue se isso acontecer com você pois ele tem essa característica.  No geral a fragrância é deliciosa e encantadora porém continua com aquele defeitinho: a projeção! Quanto a longevidade ele esta bem melhor. Uma ótima fragrância.Romântica, feminina e até sensual dentro dos seus limites. Tem tudo para emplacar.

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Uomo Salvatore Ferragamo (2016)



Uomo Salvatore Ferragamo Salvatore Ferragamo for men
As criações de Morillas andam cada vez mais populares. O perfumista assina com outros nomes da industria mas segue a tendência do "Vamos agradar a todos".  
É obvio que o queridinho da moda em perfumes masculinos é Thierry Mugler.  Seu lançamento "Pure tonka", pelo jeito vazou no mundo perfumistico ou Morillas e  Jacques Huclier. tiveram a mesma ideia. Na questão da qualidade e projeção.Tonka é até insuportável, para quem gosta mesmo de fava. Já Uomo é bem elegante, não se comporta mal no calor, e projeta na medida certa.Ele só tem uma coisa que não gostei. um adocicado levemente amendoado quase feminino, que é algo que lembra , levemente  Valentino Uomo.No resto ele se desenvolve  muito bem. A qualidade é impar , o aroma de tonka pungente e um amadeirado ambarado com notas que remetem a couro. O coração da fragrância é seu ponto forte pois valoriza um pouco mais o lado masculino, apesar de que, o floral é tão discreto que qualquer mulher pode gostar.Parece que ele vai chegar aqui bem mais barato que o T.M. e, na minha humilde opinião. é bem melhor.

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

GOOD GIRL DE CAROLINA HERRERA (2016)

Good Girl Carolina Herrera for women

Prometi ser imparcial em relação a esse perfume pois sei que o frasco está arrancando suspiros das mulheres. Não é por menos, quer algo que uma mulher descolada goste mais que sapatos? 
Carolina Herrera é um destaque no mundo da moda justamente por seu bom gosto em vestidos e acessórios. Seus sapatos estão entre os produtos mais vendidos da grife e o frasco é uma homenagem a mulher elegante e sedutora. 
Apesar de esse apelo ao sedutor Good Girl é uma fragrância muito fácil de agrada. Vamos abrir um espaço aqui para a perfumista  Louise Turner que foi responsável por toda a linha Roberto Cavalli de 2013 a 2016 incluindo Exótica , Aqua e Paradiso. Ela é especialista em criar fragrâncias que emplacam como Love de Chroe e Glow. Esse detalhe já embute uma grande qualidade a essa fragrância.
O "sapatinho" não foi feito para escandalizar, ao contrário, ele remete a uma mulher que realmente está antenada com o seu tempo. Discordo o que o mesmo remeta a qualquer perfume da linha 212 pois o mesmo é um tanto quanto diferenciado.
A saída tem café e um cacau bem pronunciado que contrasta com um delicado, mas bem mais inteligente, aroma de tuberosa. O jasmim que consta na piramide olfativa é um condutor pois a fragrância é adocicada na medida certa e tem fava tonka para mante-lo comum adocicado delicioso e nada enjoativo. 
Em  resumo, é um ótimo perfume, adocicado, chique e bem balanceado. Agradaria a todo? Acho que esse é o intuito! Adocicado, floral, intoxicante e inebriante porém não agressivo. Uma fixação e projeção ímpar. Aos que entenderam a proposta como a mesma dos 212, um recado: Melhor dar várias chances a ele, pois , em qualidade, ele é 100 vezes superior. Recomendo!
 Resultado de imagem para sapatos carolina herrera coleção 2016

My Burberry Black Eau De Parfum

Burberry have added a new flanker to My Burberry (2014) called My Burberry Black, a floriental meant to capture the contrasted scents of the rain and warm florals while adding a gourmand twist...

My_Burberry_Black.jpeg
Perfumer Francis Kurkdjian signs the new iteration like he did for the entire collection, which is also art-directed by Christopher Bailey.
Now the sunny jasmine, peach nectar and rose have to be imagined as a gathering storm approaches then heavy rain falls. The rose now offers a candied accent. The base essentially features patchouli.
A British fashion brand whose iconic product is the trench coat could not but think about how to bottle both rain and garden flowers. They also think that actress Lily Allen of Downton Abbey fame will be the perfect spokesperson for them.

Read more at http://www.mimifroufrou.com/scentedsalamander/2016/08/my_burberry_black.html#yCOsMFJwERT3v3GH.99

Galop D'Hermès Parfum


Galop d'Hermès Pure Perfume's official launch date is today, the day of the Assumption of Mary and a national holiday in France. Is it mere coincidence that Hermès are introducing the first major perfumery work by their new in-house perfumer Christine Nagel on a day when a feminine figure - « blessed are you among women » - is honored ?...
The composition is said to be about Doblis calf leather tamed by rose and about a woman who is always on the move. It's about contrast and tension between animality and floralcy. We found out it's also about edginess - another form of tension.

Muybridge_woman_motion.jpg

Motion Studies by Eadweard Muybridge
The opening of Galop d'Hermès introduces a tart, acidic, sparkling and, yes, blanched rose note which is like a study on an artistic, avant-garde rose note stripped of its more classical references. Several seconds later, the Doblis calf leather smelled in the vaults of the house appears, rainbow-like yet consistent in its display of leathery nuances suggesting metaphorical accents of butter and angelskin.
What is most interesting is that perfumer Christine Nagel decided to further push the envelope as far as odd notes can be had and bottled inside one flacon. Indeed, very soon, in the midst of the unfolding luxury leather accord, you are able to discern novel olfactive inflections which evoke... cooked legumes - and in particular one can perceive the scent of leeks boiled in water, a traditional staple of the French.

Muybridge_maid_water.jpg

Motion Studies by Eadweard Muybridge
If it is unexpected to witness a facet like this being inserted in a fragrance and a mainstream perfume for Hermès at that, it is less so if you know how creative Christine Nagel can get when she's given latitude to do so. She incidentally just concocted a rhubarb cologne for the house, Eau de Rhubarbe Ecarlate which explains also her current focus on leguminous sensations. Eau de Rhubarbe however is not edgy. It is even rather middle-of-the-road. Having once tested an interesting and convincing accord of hers at the time she was working for Mane, which was the adaptation of Harissa hot sauce to fine perfumery, you know Nagel has it in her to take mundane food staples and fine-tune them, while glamouring them up instead of just being the professional perfumer.
After a while, the risk-taking pays off. For a moment or two, you felt that it might be an interesting attempt albeit a bit hard to stomach. But the composition mellows down, coming together thanks to quince and rose - I smell cassis too - which « fruity-floralify » subtly the bolder, subliminal leguminous signature of leek whites. It is surprising at first then comforting because this is a familiar scent in France.

Galop_Hermes_flacon.jpg

The sculptural flacon is a delight for design buffs
You could argue that, well, some roses smell of artichoke; in fact, Bulgarian rose has to have this facet to be considered truly of good terroir provenance. But Nagel went further ahead than the typical reining-in of the by-product of the use of Bulgarian rose. It really is a long look taken at how far you can push an offbeat, leek-like sensation to upset the status quo of our expectations while expanding the perfumer's palette and our own appreciation of fine perfumery. There is quince in here, but we maintain that it smells stranger than quince.
Remember that for a perfumer, no smells are wrong. Smells are all potentially interesting.This applies to connoisseurs of perfumery too who are not simply on the look-out for ego-based perfumes.
For her first major launch for Hermès, Galop d'Hermès reveals the maestria of a master-perfumer who is not afraid of taking risks and hopes to educate our taste rather than the other way round, where perfume brands tend to be slaves to trends and our lowest common denominators.
When the perfume comes together even more overtime, there is a thrilling sense of discovery because this tart, fizzy leather accord works - thanks in great part to the rose. Rose is a great facilitator in perfumery. It helps you see better the beauty of leather - but also the beauty of the rose. Perhaps we needed to be reminded that the rose is nonpareil thanks to a detour in waters scented with leeks. This crude yet soft scent is aromatic. On its own, you probably would not splash it on. But mix it with luxury notes of rose, leather and saffron and the whole perfume becomes at once edgier and more humane.

Muybridge.jpg

Motion Studies by Eadweard Muybridge
In the long drydown, Galop d'Hermès takes on a precious quality of refined, fruity leather which I see as a homage to Féminité du Bois by Serge Lutens, which launched a thousand, nay tens of thousands of ship fragrances on the open sea of perfumery. It is as if saying « I, Christine Nagel, as I am the first woman perfumer working for Hermès, taking over from Ellena and capable of my own, personal wonders, I still want to take stock of a founding father of creative perfumery. And I want to thank Serge Lutens from the depth of my heart for what he did for artistic perfumery. Féminité du Bois thus has to be cited in this work because without it, it wouldn't be. I take the pledge to be a creative perfumer and not just a commercial one. I shall perpetuate this cultural lineage which goes well beyond brands»
You could also read: Stop & Smell the Legumes

Read more at http://www.mimifroufrou.com/scentedsalamander/2016/08/galop_d_hermes_perfume_review.html#D6oL6MfIKAHEuAYh.99

terça-feira, 16 de agosto de 2016

TOP MASCULINOS: AS MELHORES PROPOSTAS PARA PRIMAVERA/VERÃO 2016/2017

Difícil separar fragrâncias masculina para o verão em um ano em que todo mundo resolveu fazer amiguinhos íntimos de Invictus Aqua. Está tudo tão semelhante que até pra diferenciar você tem que ter nariz de perdigueiro. Dentre esses muitos "mais do mesmo" separamos alguns que não fogem tanto a regra mas que serão aquisições mais confiáveis. É sempre bom salientar que essa moda de repetir sucessos está acabando com a criatividade que se encontrava no mundo dos perfumes.Esperamos que esse "baby boom" comercial acabe logo e que os perfumistas comecem a pensar no futuro ao invés de se ater a sucessos efêmeros do presente.

1) Armani Code Turquoise for Men

Armani Code Turquoise for Men Giorgio Armani for men

A Armani tenta emplacar um flanker de verão de Code. A genética desse perfume não nega, ele foi inspirado na versão Armani Code SUMMER de 2011. Isso é ruim? Pelo contrário é bem interessante. Só de não ter cromossomos repetitivos das notas de saída do Code Sport e do Code Sport Athlete já se diferencia. A proposta é simples e bonita  porém mais leve que as anteriores. O destaque fica para um floral totalmente compartilhável com bastante néroli. Tem aquele "q" do code original com uma proeminência  de almíscar, e madeiras. Um toque que lembra notas marinhas, e notas de oliveira que conferem um herbal discreto. Não é adocicado  apesar de ter um frutado cítrico gostoso bem no início. O problema aqui é a longevidade que é bem pequena e a projeção que é quase intimista. Porém, funciona como uma ótima colonia para o verão. 


2) Trussardi Blue Land 
Blue Land Trussardi for men
Versatilidade! Essa é a palavra certa para Blue Land. Ta certo que logo de cara lembra o D&G pour homme e este não é o perfume que eu mais gosto. Porém o desenvolvimento é muito superior e valoriza a composição. Tem uma saída um pouco sintética e ozônica e marinha. Uma lavanda discreta  que é praticamente um veículo para as fazes da fragrância. A maça e o vetiver evoca o nautica voyage mas sem parecer uma imitação, talvez uma inspiração. A elegância fica por conta de notas de couro e nuances de gengibre que lembram o desenvolvimento do 58 Avenue Montaigne. É tranquilo, gostoso e usual. Totalmente verão e vale a pena.

3) White Tag de Zara 
White Tag Zara Masculino

A  Zara não dá ponto sem nó e  colocou no mercado a sua versão do Creed Silver Mountain Water .É praticamente o irmão gêmeo com temperamento mais ameno. É um pouquinho menos frutado com um aromático enólico mais proeminente  mas a saída é idêntica. O desenvolvimento tem mais chá e parte para um floral  mas no contexto lembra SMW. faltou um pouco de madeira para segurar a longevidade e assegurar a projeção já que a fragrância tende mais para o almíscar e não é de deixar rastro. Mesmo assim. O preço e a proposta fazem dele uma ótima alternativa para quem quer um bom perfume para o verão.

4) Gentlemen Only Parisian Break
Gentlemen Only Parisian Break Givenchy Masculino

Sabe quando você quer usar um perfume que combine com seu jeans e uma camiseta branca?Algo que não seja nada mais que um perfume pro dia a dia e que ao mesmo tempo não lhe deixe apagado, é mais ou menos o que o novo flanker de Gentlemen Only traz. Nada de especial porém o pezinho que ele tem no good life da Davidoff me deixou um pouco mais interessado. É citrico, bem proeminente no aromático principalmente na hortelã, isso o deixa bem refrescante e agradável. Como não é inovador, pode lembrar vários perfumes, desde um pouco do invictus ( que é um pouco mais ligado a memória olfativa do que ao próprio perfume) até o próprio Sauvage da Dior. Essa simplicidade e dinâmica deixa a fragrância bem coringa. O destaque está no vetiver sequinho que forma as notas de fundo que ganham um toque amadeirado seco bem gostoso. Longevidade mediana. Projeção mediana. Um perfume pro verão, até um pouco elegante para um flanker.

5) Legend Spirit de Montblanc 

Legend Spirit Montblanc Masculino


Seguindo a linha das tendências de verão e, não se afastando nada dos outros, Legend Spirit repete a mesma proposta de Gentlemen Only Parisian Break. É fresco, jovem, aquático, doce e versátil. O destaque fica nas notas de saída que estão aromáticas na medida certa. Aqui não temos a agressividade de alguns aromáticos cítricos que chegam a lembrar álcool. A lavanda é almiscarada e as notas marinhas bem proeminentes. O coração tem especiarias e pimenta leve mas o amadeirado é muito gostoso. Ele repete a formula jeans e camiseta porém tem seu estilo, já que retoma o jeitinho do Eau de Lacoste L.12.12. White de 2011. A longevidade e projeção são boas perto dos que estão nas prateleiras. Apesar de simples, o perfume arranca elogios e pode até emplacar por um tempo a mais que o verão.

6) Eau de Cartier by Cartier 
Eau de Cartier Cartier for women and men

Para quem não dispensa o eterno Eau de Cartier  esse não decepciona em nada. Ele vem com um toque verde e uma baunilha leve e gostosa. O mesmo cítrico e o mesmo floral ou seja , o mesmo DNA, A longevidade parece ter aumentado consideravelmente porém a projeção continua elegante e  muito bom para o uso diário . Vale a pena pois essa versão com baunilha é mais quente e ganha ares de compartilhável de verdade.

7) CK2 de Calvin Klein 
CK2 Calvin Klein Compartilhável

A nova cara do ambíguo e do andrógeno já tem nome e é CK2. Não tem como prever se a fragrância vai ganhar a notoriedade de CK one mas é louvável  desde início por ser diferente do que está no mercado. Uma abertura super original citrica,  herbal lembrando raiz-forte ardidinha, com um toque sintético,  incensada e até picante.Aroma de violetas marcante , amadeirado seco e floral controlado. Um fundo que lembra madeira, flores e pedra de ornamentação. Vale destacar que , após um tempo todo esse sintético evolui e deixa rastros de almíscar. Não é para todos, mas quem se adaptar não vai querer largar.

8) King of Seduction Absolute

King of Seduction Absolute Antonio Banderas Masculino

Esse é de 2015 mas posso apontar como uma proposta acessível e deliciosa para o verão. Primeiro por que a silagem é bem superior aos outros da linha e depois por que a referência olfativa é super eclética e não deixa nada a desejar aos famosos que foram lançado. O perfume é ótimo para todas as ocasiões , desde um passeio com pelo parque até uma baladinha, basta pesar um pouco mais ou menos no dedo. Um monte de comparações surgiram. Uns dizem que parece invictus, na minha humilde opinião tem muito mais aromáticos que o invictus. Um couro confortável e um herbal marinho. Talvez nesse ponto remeta ao amado e odiado Invictus, mas está mais para Fierce da Abercrombie & Fitch, o mesmo vetiver, musgo, absinto. O couro substitui o almíscar. A avelã adocica a composição e casa super bem com as notas marinhas. Enfim, vale cada centavo pois  é bem coringa. Um perfume que vai ganhar seu espaço no mercado assim que os Brasileiros descobrirem sua versatilidade. 


9) Horizon de Davidoff 
Horizon Davidoff Masculino
Uma proposta para um homem mais resolvido, que vive um período de estabilidade e que gosta de conforto e tem aquele jeito Elvis Presley de encarar o mundo perfumístico com simplicidade. Tem um "q" de perfume vendido em farmácia, um ar conservador mas é delicioso para usar em ambientes climatizados pois é " chique, elegante e belo". Não diria que é um perfume para ganhar mercado mas que pode vir a tornar-se um clássico como o próprio Zino da Davidoff. A madeira e as especiarias são quentes e contrasta com a saída aromática cítrica apimentada e detalhes secos adocicados com patchouli e sementes de cacau. A composição em si não permite diferenciar muito as notas mas esse lindinho me encantou e vai ser uma aquisição perfeita. É perfume de Macho? Depende! diria que é um perfume diferenciado e que não foi feito para concorrer com os diversos amiguinhos da Paco Rabanne. Vale o preço e a longevidade e projeção.


10) Carven L`Eau Intense by Carven


Carven L`Eau Intense Carven for men

A melhor proposta para o verão é Carven l'eau intense, se você duvida é só adquirir . Sabe aqueles defeitos que a Mugler cologne tem? Pois é, esse perfume é uma correção dele. Uma silagem perfeita, aquele estilo colonia lavanda , aromática e especiada. Um amadeirado discreto que segura a fragrância que tem gengibre pronunciado. Saída cítrica suculenta. Enfim, uma colônia de ótimas proporções . Assim que o preço ficar acessível vai substituir Mugler cologne para sempre em meu armário. Francis Kurkdijan mitando outra vez..