VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

segunda-feira, 18 de julho de 2016

Galop d`Hermes de Hermes (2016) de Christine Nagel



Fragrâncias couro para mulheres tem que ser muitoooo bem dosadas para não confundir o olfato e apresentar , ao invés de conforto, um desconforto. As inovações de Christine Nagel são muito bem avaliadas pela equipe de qualidade pela equipe  Givaudan/Hermès. Galop entrou na lista de criações desse ano com ressalvas por apresentar uma estrutura oriental feminina que abusa do couro e rosas. O ponto crucial de Galop é o equilíbrio entre o  feminino sensível e o masculino andrógeno. A estrutura é típica das fragrâncias Oud, e entra por si só, em seara complexa. As rosas  não são o primeiro plano dessa composição como acontece no amadeirado oriental de Rose Oud de Laurence Dumont, o couro é a prioridade. O açafrão é mais puxado que o normal e a disposição semi-linear da fragrância chega a ser dúbia em termos de sofisticação, nem todos conseguem entender a inversão que transformou algo na vipe de  Terryfic Oud Extrême de Terry de Gunzburg de compartilhável em feminino. A linha é tênue e a madeira parece que vai aparecer a qualquer momento porém, ele deslancha para um adocicado leve que confunde o olfato e deixa uma pegada da nota inicial que impressiona no Chance Eau Tendre de Chanel. Em resumo , não é uma fragrância fácil de gostar. Para a mulher que quer essa pegada... algo que poderá despontar na perfumaria já que a perfumista é um resumo do moderno, ainda indicamos Rose Oud de Laurence Dumont . Algo muito mais fácil de gostar, com couro na medida, mais rosas e menos açafrão . Uma medida de Oud que não incomoda e um toque andrógeno dinâmico e sensual. 
Galop d`Hermes Hermes Feminino
Apresentação impecável em um perfume diferenciado 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

COMENTE O QUE VOCÊ ACHOU DA NOSSA MATÉRIA!