VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

terça-feira, 19 de julho de 2016

E Quando a Pessoa Querida Não Gosta do Seu Perfume?

por: Elena Vosnaki, Yi Shang, Dr. Marlen Elliot Harrison, Rouu Abd El Latif

Nossos relacionamentos com nossas fragrâncias favoritas podem ser tão fortes que só de pensar em não poder usá-las novamente é simplesmente deprimente! Da mesma forma, já houve ocasiões em que fragrâncias usadas por outros criou para nós fortes associações, às vezes para melhor... às vezes para pior.
Você já teve a experiência de uma pessoa querida usar um perfume, por qualquer que seja o motivo, que você simplesmente não suportava... deixando você com esta cara?
Ou talvez você tenha sido o causador e foi gentilmente solicitado a nunca mais usar uma certa fragrância na presença de alguém?
Como você ou a sua pessoa querida respondeu nesses casos? O que você faria se alguém pedisse que você nunca mais usasse seu perfume favorito? Nossos autores internacionais ponderaram sobre essa situação desafiadora com algumas anedotas de suas experiências pessoais.
Conte-nos suas próprias histórias no campo de comentários abaixo!

"Escondi o DKNY dele"

Uma vez eu tive uma pessoa querida que usava DKNY Men. Esse é um perfume que tinha uma má associação para mim já que havia sido usado por um ex do que eu não gostaria de lembrar. Minha solução? Reforço positivo! Eu aumentei os elogios toda vez que ele usava seu Givenchy pour Homme Blue Label, que eu adorava, e que ele adorava... e ele adorava que eu o adorava.
Isso aí, e também escondi o DKNY Men dele, rs.
De verdade, escondi.
Por sorte, ele levou na boa quando expliquei o motivo da minha aversão ao perfume. Também fiz questão de fornecê-lo com outras fragrâncias de que tanto eu e ele gostávamos. A gente brincava o tempo todo sobre isso e, de tempos em tempos, quando eu elogiava um perfume dele, ele respondia, “Obrigado, é o DKNY Men!”
Devido aos meus interesses egoísticos, eu também o trouxe para um território mais doce e gourmand e o introduzi perfumes como Dior Homme Intense já que ele gostava e usava Axe Dark Temptation, e Fleur de Male e Ultra Male já que ele gostava do Le Male original e eu não.
Por outro lado, eu recentemente fiquei empolgado em trazer de volta um antigo clássico à minha coleção – Antaeus de Chanel. Admito que a fragrância tenha pouca semelhança com muitas das fragrâncias gourmands e refrescantes de hoje (que geralmente me atraem).
Logo na primeira aplicada, num dia fresco de primavera indo ao cinema com a família, fui imediatamente advertido com um “Isso é nojento! Por favor, nunca mais uso isso perto de mim novamente”
Engasguei. Eu amo o “fedor” almiscarado de Antaeus e finalmente achei que tivesse chegado na idade em que essa fragrância faria sentido para mim... e não me sinto completamente estranho usando um aroma tão maduro. Pensei em insinuar que a interlocutora tivesse gosto zero, ou que não soubesse reconhecer uma fragrância clássica quando a cheirasse. Contudo, mantive a classe, lembrando a resposta gentil e compreensiva da pessoa querida que eu mencionei acima.
Expliquei que eu estava usando Chanel, que era um favorito, e que eu respeitosamente escolheria algo diferente no futuro.
Ahhh, que pena, Antaeus! E ainda bem que eu tenho diversos favoritos!

"Tem cheiro de tapete empestado com produtos de limpeza"

Na minha pele, eu simplesmente não suporto Christian Dior Hypnotic Poison. Contudo, seu dry-down ou a silagem em torno de um estranho é outra história, e eu na verdade gosto bastante! Acho que realmente tem a ver com a química da pele e moderação.
Minha pessoa querida tinha um gosto bem peculiar que eu desistir de entender. Ele não tinha problema algum com minhas bombas ao estilo de Thierry Mugler Angel eBond No 9 Chinatown. Contudo, parece que toda vez que eu estivesse algo com uma violeta pronunciada, ele não faria cerimônia ao colocar sua opinião:
“Que perfume é esse que tem cheiro de tapete empesteado com produtos de limpeza?” foi sua resposta a Guerlain Insolence.
“Não combina com o seu estilo” ou “Tem um cheiro dourado demais para você”, foram recebido por Annick Goutal La Violette e Caron Aimez - Moi, respectivamente.
Além de temporariamente esconder os ofensivos e escolher algo que tanto eu e ele gostássemos, eu tinha as seguintes estratégias:
Trazer de volta o perfume num clima ou ocasião diferente! Essa costuma ser uma missão de resgate com chances 50/50; provar outros perfumes com os mesmos ingredientes ofensivos e marcantes eventualmente pode fazer milagres.
Vivienne Westwood Naughty Alice é um bom exemplo do último. Meu parceiro na verdade o comprou para mim porque o agradava, embora pudesse claramente sentir as violetas.

"Eu imediatamente parei de usá-lo"

Há um ditado árabe que diz “Um abraço é quando você chega usando um perfume e vai embora com dois.” Profundo, né?! Agora, o que acontece quando seu namorado/namorada realmente não gosta da(s) sua(s) fragrância(s) favorita(s)? Perguntei isso a quase 20 pessoas durante todo o mês passado cujas idades variavam entre 25 e 45 anos, e de ambos os sexos. 19 delas responderam “Eu trocaria de fragrância”.
Ok. Isso é como o amor verdadeiro deve ser. Para pessoas que conhecem e amam perfumes, isso não tende a ser um problema; para mim, eu não escolheria essa resposta de imediato para ser honesta. Eu valorizo minhas fragrâncias favoritas como se fossem um pilar vital da minha identidade pessoal. Como Christian Dior dizia, “A fragrância de uma mulher diz mais sobre ela do que sua caligrafia”. Por sorte, minha pessoa querida e eu tipicamente gostamos mutualmente de nossas escolhas de perfumes. Mas recentemente, no trabalho, tive duas experiências que têm a ver com ser honesto sobre as escolhas alheias.
Um amigo estava usando Xerjoff Kobe no trabalho, um perfume que eu não aprecio muito, e, depois de diversas semanas de instantâneas dores de cabeça que duravam o dia todo, eu disse a ele “Você deveria mudar de perfume”. Educadamente, expliquei a dele que Kobe está mais para um “perfume noturno”, talvez não a melhor escolha para o escritório; então propus outras sugestões que acabaram deixando-o empolgado para sua próxima compra de fragrâncias. Uma situação parecida ocorreu quando eu costumava usarBurberry London no escritório e uma colega mencionou que não o suportava – ela estava grávida. Eu imediatamente parei de usá-lo no trabalho.
O balanço geral: Fragrâncias existem para abençoar nossos sentidos, amenizar nossos tempos, perfumar nossas memórias e arrancar sorrisos de nossos rostos. E às vezes precisamos fazer escolhas baseadas nas preferências alheias.

"Ele inesperadamente começou a comentar de forma negativa"

Meu parceiro tem um nariz altamente sensível e refinado. O sonho de um amante de perfumes e muito mais. Ele adora farejar perfumes, usar perfumes, cheirar perfumes em mim, chipres clássicos particularmente, comentando sobre eles frequentemente, normalmente de forma elogiosa, narinas ativadas, dando respiradas fundas. Ele apenas não gosta de falar sobre o hobby em público tanto quanto fazemos em privado. Suponho que ele ache um pouco superficial.
Então achei estranho quando ele inesperadamente começou a comentar sobre uma das minhas fragrâncias de forma negativa. A fragrância em questão é pura perfeição, o jasmim mais verdadeiro e exuberante que captura a verdadeira sensação de se revirar numa imensa cama de ramos de jasmins cortados, e receio que possa ofender outras pessoas também, devo admitir. ÉA la Nuit, o hino de Serge Lutens à rainha do luar florescente do jardim.
Jasmim é abundante na Grécia, exuberante, narcótico, denso e cremoso pela noite, fazendo o coração doer com sua doçura e frescor de chiclete com aspecto verde e orvalhado pela manhã. Mas enquanto nós, amantes de perfumes, gostamos de zombar e nos provocar sobre as nuances fecais do jasmim, especificamente a combinação de indol de naftalina e lactonas de pêssego cremoso, além de muitas outras adições químicas maravilhosas e esquisitas, ouvir a nossa pessoa querida falar disso num clima íntimo pode ser instantaneamente perturbador. Quão estimulante é a menção do número 2 no quarto? Não particularmente para muitos, aposto. E desde então eu fiquei mais cautelosa.
Fugir do problema não foi fácil, além de apreciar À la Nuit apenas quando eu estiver certamente sozinha. Graças a Jasmine Full de Montale, embora similarmente opulento e animálico, não tenha provocado reação similar. Considero-me abençoada.

Como você mantém a paz perfumística quando incomodado pelo perfume de alguém ou quando alguém não gosta do seu?

Tradução: Daniel Barros

Nenhum comentário:

Postar um comentário

COMENTE O QUE VOCÊ ACHOU DA NOSSA MATÉRIA!